Pesquisa do Goldman Sachs mostra que 33% dos millennials acreditam que não vão precisar de um banco em cinco anos. Metade deles esperam ter esse tipo de serviço prestado por startups. Quer mais? No mundo existem cerca de 1.406 Fin Techs, segundo pesquisa da Venture Scanner.

Diante desse cenário de transformação global que impacta os setores de tecnologia e financeiro que surgiram as Fin Techs. Para debater práticas e cases de sucesso, a comissão de Empreendedorismo da Câmara de Comércio França-Brasil (CCFB-SP), convidou João Lencioni, fundador da Jeitto.

“A Fin Tech é um modelo de negócio que pode oferecer serviços de crédito, por exemplo, só que com uma estrutura diferente de um banco, mais enxuta, com tecnologia e alcance ilimitado pela internet”, explicou Lencioni. “A Jeitto nasceu com o desafio de entregar crédito consciente para as pessoas de baixa renda”, disse.

“Oferecemos por meio de um aplicativo um crédito de R$ 150,00, que a pessoa pode usar para pagar determinada despesas como água, luz e recarregar celular por uma taxa baixíssima”, ressaltou. “O nosso intuito é que as pessoas que estão fora do sistema bancário e que trabalham informalmente possam contar com um crédito que ajude a fechar as contas”, sinalizou Lencioni. “Disponibilizamos, portanto, um fôlego para esse usuário”, exemplificou.

O cadastro é feito pelo aplicativo apenas com a inserção do nome completo e CPF do usuário. A Jeitto faz uma análise e autoriza ou não o uso do crédito. “Criamos uma ampla e efetiva plataforma de dados, informações e avaliação de risco para colocar o projeto em operação. Ainda estamos analisando essa base que hoje reúne mais de dois mil clientes para melhor atender as demandas desse público”, disse.

De acordo com Lencioni, a Jeitto também criou aplicativo Jeitto Vendas para que consultoras que já vendem produtos e cosméticos ofereçam a plataforma para a comunidade. “Uma parte desse crédito de R$ 150,00 pode ser usado para a compra de alguns produtos dessas linhas”, reforçou. “Por meio da Fin Tech Jeitto, que é acelerada pela Artemisia, queremos reduzir o endividamento das pessoas, melhorar o planejamento e ampliar o empoderamento”, concluiu .