Se deparar com a responsabilidade de cuidar das atividades que envolvem o trabalho com expatriados requer que o profissional seja um eficiente facilitador. A afirmação é de Lode Saliba Raffoul, consultora na Lode Consultoria Welcome Solution a Perzonalized Relocations Service, durante evento realizado pela Comissão do Trabalho, da Câmara de Comércio França-Brasil (CCFB-SP).

“O trabalho do assistente executivo começa seis meses antes da transferência efetiva do executivo com a sua família”, explicou Lode. “Entre a lista de ações fundamentais para que seja realizada uma logística de sucesso estão a busca por curso de idioma para o colaborador e a família, a viagem de informação para conhecer o local, documentos necessários, logística, contrato de remuneracão e assessorial fiscal”, ressaltou.

Pesquisa apresentada pela consultora mostra que 81,5% dos executivos têm dificuldade de se adaptar ao destino. Aproximadamente 44,4% não se adaptam por conta da insatisfação do cônjuge. O baixo desempenho corresponde a 40,7% e a falha na seleção dos candidatos 29,6%. Não à toa, as empresas têm se preocupado com a relação desenvolvimento profissional e emocional.

“O treinamento intercultural é a chave do sucesso, pois é fundamental auxiliar a família do executivo para que ele possa ter tranquilidade para focar nas atividades e desafios profissionais”, disse Lode. “Para que tudo dê certo é essencial que o cônjuge esteja bem e feliz”, enfatizou. “Hoje, as empresas já reconhecem que o executivo aumenta o desempenho do seu trabalho quando a família se adapta com sucesso no país para o qual foi direcionado”, concluiu.