Para o especialista Fábio Navarro, fundador da Áster-Scientia, de 1900 a 1950, a moda e a perfumaria na França passaram por grandes transformações. Ele destacou em evento da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), que a abertura das marcas para o mercado, a associação do perfume com a moda e pós-guerra foram os principais motivadores.

“Foram décadas muito criativas em que a perfumaria torna-se mais uma forma de vestimenta”, explicou. “Foi durante esse período que o jazz ganha relevância na França, que a moda ganha força em Hollywood e que ocorre a Exposição Universal de Paris”, disse Navarro. Segundo ele, em 1900 cai o corpete, surge o costume de usar uma roupa para cada ocasião, os chapéus viram vedetes e surge também o vestido lingerie.

“Entre os principais perfumes e estilistas desse glorioso período, podemos destacar Gabrielle Chanel com o Chanel nº5, Jean Patou com o JOY, Elsa Schiaparelli com Pink Shocking, Marcel Rochas com Femme, Nina Ricci com L’air Du Temps, Pierre Balman com Vent Vert e Christian Dior com Miss Dior”, enfatizou. “O perfume, a moda, a musica e arte foram se unindo e transformando os costumes ao longo dos anos. Não à toa, a moda na minha visão é uma forma de expressão não verbal”, concluiu Navarro.